16 de outubro de 2012

Eu esqueci o que eu ia dizer

21 de setembro de 2012

Corpo de baile

Que eu estou gordo, eu já sei. Desde o meu último post, há 1 ano menos 9 dias, eu devo ter ganho uns 10 quilos. Nenhuma surpresa nisso, já que passei por um dos períodos mais estressantes da minha vida e nunca fui fã de exercícios, e essa combinação nunca faz bem.

Mas os tapas na cara que tenho levado nos últimos meses me fizeram perceber que preciso rever urgentemente essa situação.

Minha namorada e eu compramos ingressos para todos os espetáculos da Temporada de Dança do Teatro Alfa, e mais alguns espetáculos aqui e ali. O forte dessa temporada é dança contemporânea. Nada de tutus, pliés, en pointe, resumindo, frescurinhas. São só homens e mulheres com corpos perfeitos fazendo movimentos ritmados, não-naturais e, às vezes, meio esquisitões.

Recomendo fortemente, quando tiverem a oportunidade, assistir aos espetáculos de companhias como São Paulo Cia de Dança, Grupo Corpo, Akram Kahn e Nederlands Dans Theater. Se quiser aproveitar a temporada, ainda tem espetáculos em setembro e novembro.

Eu vejo isso e fico aqui com a minha dor de cotovelo (literal e figurada), com meu joelho estalando a cada vez que levanto da cadeira, doendo quando ando muito, minha lombar doendo quando fico muito tempo sentado, meu esqueleto e seus ruídos matinais, eu indo na quiropraxista toda semana, eu e meus raios X, minhas ressonâncias magnéticas, tendinites e escoliose.

Por isso, além do fascínio pela dança contemporânea como arte, admiro até como esporte. E deve ser um esporte gostoso de se praticar, agradável, até terapêutico.

PS: Este post é o cumprimento de um acordo fechado a cuspe com a Natalia. A partir de hoje volto a atualizar o blog e aos poucos vou rever o layout e tudo mais.